Como Substituir Uma Conexão Tê Azul na Tubulação

Olá!
A sua parede está ficando úmida e você não sabe por que?

Saiba que defeitos na tubulação hidráulica não é coisa rara de acontecer sendo que a maioria deles acaba em umidade e manchas na parede. Se esse for o seu caso, aqui vão algumas dicas, assim, você mesmo poderá resolver o problema.


No vídeo ao lado você vai ver como foi feita a substituição de uma conexão Tê azul soldável que rachou na tubulação e estava provocando umidade na parede. Verá também as possíveis causas da rachadura e algumas formas de prevenção.




Rachaduras em conexões são defeitos muito comuns em instalações hidráulicas, elas são provocadas por excesso de esforço sobre partes da peça, normalmente causadas por instalações incorretas e resultam em umidade e manchas na parede.
Considerando que melhor do que aprender a resolver o problema, é evitar que ele ocorra, deixo aqui algumas explicações sobre suas possíveis causas e dentro disso, podemos destacar os principais erros cometidos durante a instalação, são eles:

►Utilização de conexão soldável sem anel de reforço.
►Aplicação em excesso de fita veda rosca.
►Utilização de torneira com rosca da mesma dimensão da conexão.
►Utilização de bucha de redução ou prolongador feito de material metálico.

No primeiro caso, por questão de economia ou falta de conhecimento, se instala a conexão simples, aquela que tem a mesma cor do tubo, essa peça não possui reforço metálico na rosca, deixando-a bastante fragilizada a esforços, principalmente aqueles exercidos pelo rosqueamento e aperto da torneira.
Na segunda questão, utilizar fita veda-rosca em excesso pode provoca um aumento demasiado da força exercida pela rosca da torneira sobre a rosca da conexão fazendo-a se romper, neste caso, o ideal é o uso mínimo necessário da fita.
Na terceira hipótese, o erro está na utilização de torneira metálica com rosca de dimensão igual a da conexão, parece ilógico pensar que isso é inadequado, mas veja: depois de acrescentar a fita veda rosca e rosquear à torneira, irá ocorrer uma força contraposta entre as peças que nenhuma delas absorverá, pois ambas são metálicas, como a conexão é a parte mais frágil entre as duas, é ela que vai se romper.
E por fim, a quarta questão, é instalar uma torneira correta, mas com a utilização de bucha metálica, o que incorre no mesmo erro já citado no caso anterior.
A solução então é utilizar torneira com rosca menor e acrescentar uma bucha plástica para adaptação entre as roscas.
Conhecendo as prováveis causas do problema, fica mais fácil compreender o que ocorreu nesta conexão.
Veja que há uma fissura na parte plástica da rosca.

Mas curiosamente, diferente do que normalmente ocorre na maioria dos casos, neste, o anel metálico, que costuma ser o primeiro a se romper, suportou bem os esforços que sofreu, ficando a fissura restrita somente à parte plástica.
Uma forma de tentar impedir o defeito, é criar um reforço no lado externo sobre a rosca da conexão e isso pode ser feito de algumas formas:
1 - Acrescentando uma ou duas abraçadeiras metálicas bem apertadas sobre a rosca na parte externa da conexão.
2- Enrolando de forma bem apertada, arame de aço ou galvanizado da mesma forma como sugerido para a abraçadeira.
3- Encaixando, sob pressão, um anel metálico.
Quaisquer desses métodos ajudam, porém, o melhor e mais garantido é o ultimo por oferecer maior reforço.
Depois de entender sobre o defeito e a prevenção, passemos ao conserto propriamente dito.

 O Conserto:
A Limpeza da área em torno da conexão deve ser feita com extremo cuidado a fim de não piorar ainda mais o problema, utilizando sempre ferramentas adequadas e equipamentos de segurança, principalmente óculos.
Removido o revestimento e a massa que cobre a conexão, observe as possibilidades de conserto, sempre levando em consideração o menor uso possível de peças, além da localização exata de onde cada uma deve ficar. Não corte e nem retire nada do lugar antes de ter certeza do que pretende fazer. Se precisar, faça um desenho de como e onde as peças se encontram atualmente e onde elas ficarão depois que o serviço estiver pronto.
Em alguns casos serão necessárias várias peças, tais como: luvas comuns, luvas de correr, joelhos..., enfim, isso vai depender de cada caso, mas é importante adquirir material de boa qualidade(normatizado) e dar atenção especial à conexão de rosca, seja ela qual for, luva, tê ou joelho, essas peças, devem possuir reforço metálico na rosca e normalmente são facilmente identificadas por serem de cor azul.

Preparação do Material e Execução do Serviço
Na preparação das peças, mais precisamente sobre os pedaços de tubo que serão necessários cortar, é muito importante fazer os cortes com o máximo de precisão possível, nem muito justo e nem muito folgado, ou seja, mantenha uma tolerância para a necessidade de algum movimento durante a soldagem dos mesmos.
É importante fazer o lixamento das partes que serão unidas, para isso utilize lixa 100.
Para garantir uma perfeita instalação e facilitar o encaixe das peças, com exceção da remoção das rebarbas e suavização das quinas remanescentes do corte, os lados dos tubos que receberão a luva de correr, não devem ser lixados e sim limpos, a abrasividade causada pelo lixamento, pode prejudicar a vedação do anel de borracha.
Utilize solução limpadora e preparadora sobre a superfície de soldagem, saiba que esse material, muito mais do que limpar, tem ele a função de auxiliar na fusão das peças, o que é muito diferente de uma simples colagem.
Um detalhe importante e que merece muita atenção, se refere ao alinhamento da rosca em relação à parede, devido à velocidade de ação do adesivo, não há muito tempo para se fazer ajustes na posição da peça, por isso, uma forma de facilitar esse trabalho, é rosquear provisoriamente uma torneira ou alguma outra peça na rosca da conexão à ser soldada, dessa forma, haverá melhor apoio para as mãos e maior facilidade na definição do alinhamento.

Para facilitar a entrada do tubo na luva de correr, utilize detergente de cozinha ou óleo vegetal, nunca use óleo mineral ou graxa, esses produtos podem alterar a estrutura química do anel de borracha e acabar danificando a peça.
Para não se perder no alinhamento correto da luva de correr, o ideal é medi-la e depois marcar as pontas dos tubos com a metade dessa medida para cada um deles, isso facilitará muito na identificação da posição correta em que ela deve ficar.
Antes de remendar a parede, faça o teste de pressão para verificar se não há vazamentos, o que deve ser feito da seguinte forma: depois da soldagem, aguarde algumas horas como recomenda o fabricante do adesivo e em seguida tampe a saída da conexão com um plugue ou com a própria torneira, abra o registro e observe se está tudo OK.

►Acompanhe aqui a segunda parte desse conserto.

►Acesse no YouTube nossa playlist de hidráulica para aprender coisas que você mesmo pode fazer:

Outras playlists de nosso canal no YouTube:


Nosso Blog: http://cienciacompartilhada.blogspot.com.br
Nosso Canal: https://www.youtube.com/user/ivairpuerta

Assine nosso canal, ficaremos muito felizes e gratos👍.

Link de inscrição no Youtube

Receba novidades, se inscreva em meu canal no Youtube: Ciência Compartilhada