Como Conservar Válvulas Eletrônicas

COMO CONSERVAR VÁLVULAS ELETRÔNICAS 

Tenho mais de 1000 válvulas que conservo para uso em experimentos com radiotransmissão e manutenção de meus rádios antigos. Porém notei que mesmo que ficassem guardadas por algum tempo sem serem tocadas, frequentemente apareciam algumas danificadas, com o interior esbranquiçado característica tipica de entrada de ar.

A questão que me intrigava é que não haviam rachaduras aparentes que pudessem justificar o fato.  Foi quando resolvi olhar com uma lente a superfície do vidro e fiquei surpreso com o que vi, pois haviam fissuras quase imperceptíveis mesmo com uso da lente. Qual então seria a causa do problema, pois apesar de as guardar juntas em três caixas, sempre tomei cuidado no manuseio evitando choques entre elas. mas aí me veio na ideia que isto poderia ser o problema, mesmo que não batessem umas nas outras, só o contato entre elas já era o suficiente para produzir micro-riscos que causavam as fissuras no vidro e isso fica claro no exemplo das fotos acima, veja que a válvula está estragada porém não apresenta nenhuma trinca aparente. Com o tempo e variações da temperatura ambiente, a diferença de pressão devido ao vácuo no interior, todos estes fatores favoreciam a entrada do ar e por consequência danificavam as válvulas. Como então conserva-las pois além do valor histórico havia também o valo econômico, afinal não se acha mais destas em lojas de componentes eletrônicos, e posso dizer que tenho algumas bem raras. Lembrei-me então que quando se comercializava este tipo de produto, algumas vinham embaladas individualmente em caixas de papelão e outras em caixas coletivas de isopor, foi aí que resolvi a questão, caixas individuais dificultariam o manuseio e tomariam muito espaço além de ser demorado construí-las, então dei preferência as de isopor que ficaram assim:
Problema resolvido.

Link de inscrição no Youtube

Receba novidades, se inscreva em meu canal no Youtube: Ciência Compartilhada